Total de visualizações de página

quinta-feira, 29 de maio de 2014

PROFISSÕES INVISÍVEIS



Não é fácil engolir que em pleno século XXI ainda existem profissões que sofrem preconceitos, mesmo sabendo que são importantes na nossa vida diária.
Quantos de nós paramos para conversar com as pessoas que diariamente convivemos?Profissões como: Gari, catadores de materiais recicláveis, zeladoras, agentes de serviços gerais e outras não são vistos pela sociedade e até pelos próprios colegas de trabalho que se julgam superiores.
Acredito que ninguém pode nos fazer inferior sem o nosso consentimento, e ninguém tem o direito de arruinar o dia de trabalho. Os melhores lugares para trabalhar são aqueles em que os indivíduos, independentemente da sua posição, aceitam elogios com graça e não com segundas intenções.
Quantos de nós paramos para conversar com o gari que varre diariamente nossa rua?Quantos de nós elogiamos o cafezinho gostoso que diariamente tomamos?Quantos de nós elogiamos a limpeza dos banheiros dos locais onde trabalhamos?Quantos de nós paramos para conversar com essas pessoas.
Como se sentem essas pessoas?Em escolas, repartições públicas, nas ruas estão em contato diariamente e simplesmente passamos sem olhar para os lados. Será que somos diferentes? Posição social?Estudo?E daí? Somos gente como eles (as).
O que pensar quando um gari diz que se acha um poste?Porque na visão de todos ninguém conversa com um poste. Por isso se considera um.
Como tratamos as pessoas que trabalham conosco, pela roupa que vestem?Pela função que tem?Como tratamos todos aqueles que limpam a sujeira que fizemos em nossa cidade e no trabalho?Conforme a Declaração Universal dos Direitos Humanos de 1948 diz: ”Artigo 1º- Todas as pessoas nascem livres e iguais em dignidade e direitos. São dotados de razão e consciência e devem agir em relação umas às outras com espírito de fraternidade”.
Pessoas poderosas podem não ser muito brilhantes no que fazem. Nunca devemos nos enganar pela aparência. Muitas vezes o não enxergar o outro é resultado da nossa falta de humildade.
Se de repente as ruas não fossem mais limpas, escolas, banheiros público, ratos infestariam nossa cidade. Esta na hora de notarmos essas profissões. Muitas vezes comemoramos nossa própria importância. E nós somos importantes para eles?
Existem muitas coisas que nos faz diferente das demais, mas quando morremos vamos todos para o mesmo lugar. Viramos cinza, pó. Cada um de nós tem uma escolha. Qual a sua?


4 comentários:

  1. Melhor passar pela vida sem nos "achar" melhores e mais do que outros seja em que for... Lindo texto! bjs,chica

    ResponderExcluir
  2. oi Mari,

    sabe que todos os dias pego onibus no mesmo ponto para ir ao trabalho,
    e tem um gari que se tornou meu amigo,conversamos sempre uns minutos,todas as manhãs,e isso começou com um sorriso e um bom dia,todos os dias...
    me sinto muito bem senso como eu sou...

    beijinhos

    ResponderExcluir
  3. O que seria de nós sem os garis?
    Resposta: rua suja

    O que seria de nós sem os professores?
    Resposta: população analfabeta

    Ou seja não importa a profissão o importante é que sem vc o mundo para, a coisa não anda.
    Cada função exerce algo satisfatório.

    Um lindo fds pra vc

    bjokas =)

    ResponderExcluir
  4. Minha cara Mari, como sempre, temas fortes e tratados de forma direta, destemida.
    Tudo verdade, e revoltante saber, que por mais que o seja, na prática quem assim pensa e age, é a exceção e nada mais, e ainda acaba também sendo "gauche" na vida, porque a sociedade é hipócrita, o ser humano, digam o que disserem, não tem remédio: dá provas todos os dias da sua própria miséria.
    Mas ponhamos o nosso mais belo sorriso e enfrentemos o mundo que temos, sem deixar a coragem em casa, porque ela é necessária ao virar da esquina, sem que esperemos. E mesmo que sendo apenas um, o nosso simples sorriso, a nossa cortesia, o nosso civismo sincero, fará, de alguma forma, a diferença no dia de alguém.
    Um abço amigo
    Carmem

    ResponderExcluir